Experiências

Olha que isso aqui tá muito bom

4 dias

Um passeio por algumas das maiores festas juninas do País, nos passos do forró e do Bumba-Meu-Boi.

Adicionar aos favoritos Remover dos favoritos

“Olha, que isso aqui tá muito bom, isso aqui tá bom demais!

Olha, quem tá fora quer entrar, mas quem tá dentro não sai!”

A canção do grande sanfoneiro e compositor brasileiro Dominguinhos dá o tom da diversão: quando tem música boa, todo mundo dança e ninguém quer abandonar a pista.

E é muita música de qualidade que você vai encontrar nas melhores festas populares do Brasil: as festas juninas (ou de São João), que tradicionalmente acontecem no mês de junho. Além de comidas típicas, brincadeiras diversas, quadrilhas (danças tradicionais nesse tipo de festa), casamento na roça e, claro, muita alegria, que dura a noite toda.

Já ficou com vontade de balançar? Então, prepare o passo e entre no ritmo com esse roteiro por algumas das maiores festas juninas do País. Um dia em cada uma delas. No entanto, as distâncias entre os destinos são muito longas, o que dificulta o deslocamento entre eles. Se você preferir e tiver tempo para isso, pode dividir o roteiro em pequenas viagens, para aproveitar melhor de cada cidade.

Destinos de
desta experiência
Brasília
Campina Grande
Caruaru
São Luís
Dia
Adicionar aos favoritos Remover dos favoritos
Dia 1
Forró de dia e de noite

A de Campina Grande ou a de Caruaru: qual é a maior festa de São João do País? As duas cidades disputam anualmente o título e fazem cada edição ser maior e mais bem organizada que a anterior.

Para começar essa viagem, vamos pegar um trem, o Expresso do Forró, que circula apenas durante as festas juninas. Também conhecido como Locomotiva Forrozeira, parte às 10h da estação de Campina Grande e vai até Galante, a 18 km e uma hora e meia de trajeto, feito sem pressa. Em cada um dos vagões, há um grupo de forró tocando. Escolha o seu e já vá treinando os passos, pois os próximos dias serão da dança.

À noite, a festança continua no Parque do Povo, sede do famoso São João de Campina Grande. Durante o mês de junho, o lugar recebe mais de um milhão de turistas e dezenas de artistas, que garantem a trilha sonora durante toda a madrugada. Quando faltar energia, é só recarregar as baterias em uma das barracas de delícias típicas, pra depois voltar pra pista.

  • Destaques da Experiência
  • Atracão
  • Aeroporto

Ótimo para

Dia 2
Nos passos de Luiz Gonzaga

Festa de Caruaru ou de Campina Grande: qual é a maior? A questão ainda não se resolveu, não é mesmo? A verdade é que essa disputa tem sempre o mesmo vencedor: o público, que pode se divertir nessas duas grandes comemorações.

Você pode ficar pensando nessa questão enquanto visita a famosa Feira Livre, tão lindamente cantada pelo famoso músico Luiz Gonzaga. Como dizia o velho Lua, apelido do sanfoneiro, “de tudo o que há no mundo nela tem pra vender”. E tem mesmo. São tantos feirantes, 12 mil, que não é difícil se perder ali dentro, em meio a comidas, temperos, roupas, artesanato, utilidades domésticas e até carros e motos!

Mais tarde, o destino é o Parque de Eventos Luiz Lua Gonzaga, espaço de 40 mil m² onde acontece o São João de Caruaru que, claro, entra noite adentro. Como em Campina Grande, são dezenas de artistas, brincadeiras, quadrilhas e guloseimas. Uma curiosidade: durante a festa, há a maratona das comidas gigantes, quando a população se une para fazer os maiores pé-de-moleque, pamonha, bolo de milho e mungunzá do mundo.

  • Destaques da Experiência
  • Atracão
  • Aeroporto

Ótimo para

Dia 3
Bumba-Meu-Boi também é festa junina

O Bumba-Meu-Boi do Maranhão não é uma festa como as anteriores. Enquanto as outras possuem raízes católicas, a celebração maranhense tem origem na lenda do escravo Pai Francisco, que matou o boi de seu senhor para satisfazer a vontade da mulher grávida e desejosa de comer a língua do animal. Desesperado, o senhor chamou curandeiros para ressuscitarem o bicho. Ao vê-lo voltar à vida, todos se uniram em uma grande comemoração.

Mas o Bumba-Meu-Boi também guarda semelhanças com os festejos juninos: ocorre nos meses de junho e julho (apesar de haver eventos durante todo o ano) e é a festa mais popular da região, reunindo milhares de pessoas que ocupam as ruas de São Luís, dançam a noite toda e se deliciam com as comidas típicas dos festejos. Por isso, podemos incluí-la nesse roteiro.

Uma parte da festa acontece no Ceprama, Centro de Promoção Artesanal do Maranhão. A antiga fábrica serve de palco para o Bumba-Meu-Boi. De dia, abriga o mais importante mercado local de artesanato, onde você pode conhecer e comprar peças feitas por artesãos maranhenses. São esculturas, redes, roupas, rendas, objetos para casa e muito mais. Vale a visita, pelos dois motivos.

E se estiver procurando algo para fazer antes dos festejos, não deixe de visitar o Parque Ecológico da Lagoa da Jansen, um dos cartões-postais de São Luís. Com 6 mil metros quadrados, tem calçadão para passear e fazer exercício durante o dia, além de muitos bares e restaurantes que se tornam ponto de encontro à noite.

  • Destaques da Experiência
  • Atracão
  • Aeroporto

Ótimo para

,

Dia 4
Festejo na capital do País

E tem festa junina fora dos estados do Nordeste? Tem, sim, senhor. E por todo o País. Uma de destaque é o São João do Cerrado, realizado em Ceilândia, cidade próxima a Brasília, realizada anualmente e durante quatro dias, entre julho e agosto. Vale a pena visitar a capital do país antes de embalar na dança.

Como o tempo é curto, priorize a área central da cidade, onde estão seus principais monumentos, como a Praça dos Três Poderes, de onde se vê as sedes dos poderes Legislativo (o Congresso Nacional), Executivo (o Palácio do Planalto) e Judiciário (o Supremo Tribunal Federal).

De lá, vá para a Catedral Metropolitana, desenhada por Oscar Niemeyer, linda, em forma de coroa de espinhos. Primeiro monumento de Brasília, tem vitrais da artista francesa Marianne Peretti e esculturas de anjos, que parecem voar, de Alfredo Ceschiatti.

Você também não pode deixar de visitar a Torre de TV, com sua feira de comida e artesanato. Do mirante de 75 metros de altura, tem-se uma espetacular vista panorâmica da cidade. Imperdível.

Ao fim do passeio, ande até a rodoviária e pegue um ônibus ou metrô até a estação Guariroba, em Ceilândia. O estádio Abadião, palco do São João do Cerrado, fica ao lado. Você também pode pegar um táxi para ir até o local.

A festa é grandiosa: com shows de dezenas de artistas, atrai milhares de pessoas que consomem dezenas de milhares de porções de comida e bebida.

  • Destaques da Experiência
  • Atracão
  • Aeroporto

Ótimo para

,

Aproveite!

Veja nossas recomendações